top of page

Fragmentos do poema "A fonte da fala" em tradução de Josely Vianna Baptista #tradução&poesia



Capa do livro Roça Barroca - Foto de Miguel Rio Branco




Três fragmentos do poema A fonte da fala, um canto tupi-guarani da tradição Mbyá Guarani, com tradução de Josely Vianna Baptista. A tradução está no livro "Roça Barroca", em que Josely reúne o mito poético da criação do mundo dos Mbyá- guarani e poemas originais.



"Neste canto, o deus supremo vai desdobrando de si o fulgor do fogo e a neblina que dá vida, a fonte do amor e do som sagrado. Faz a fonte da fala aflorar de si e fluir por seu corpo, tornando-a sagrada, palavra-alma de origem divina. Desdobra de si os homens e as mulheres que iriam refletir sua divindade, Ñamandu de Grande Coração, Karaí, Jakaira e Tupã, pais e mães verdadeiros da palavra inspirada que insuflará a alma em seus numerosos filhos futuros."


Josely Vianna Baptista



Publicado em 17 de novembro de 2016 na Revista Cult

https://revistacult.uol.com.br/home/a-fonte-da-fala/






AYVU RAPYTA


1


Ñamandu Ru Ete tenondegua oyvára peteîgui, oyvárapy mba’ekuaágui, okuaararávyma tataendy, tatachina ogueromoñemoña.


2


Oãmyvyma, oyvárapy mba’ekuaágui, okuaararávyma ayvu rapytarã i oikuaa ojeupe. Oyvárapy mba’ekuaágui, okuaararávyma, ayvu rapyta oguerojera, ogueroyvára Ñande Ru. Yvy oiko’eÿre, pytû yma mbytére, mba’e jekuaa’eÿre, ayvu rapytarã i oguerojera, ogueroyvára Ñamandu Ru Ete tenondegua.


3


Ayvu rapytarã i oikuaámavy ojeupe, oyvárapy mba’ekuaágui, okuaararávyma mborayu rapytarã oikuaa ojeupe. Yvy oiko’eÿre, pytû yma mbytére, mba’e jekuaa’eÿre, okuaararávyma mborayu rapytarã i oikuaa ojeupe.






A FONTE DA FALA


1


Ñamandu, nosso Pai verdadeiro, o primeiro, de uma pequena parte de seu ser-de-céu, do saber contido em seu ser-de-céu, e sob o sol de seu lume criador, alastrou o fulgor do fogo e a neblina que dá vida.


2


Incorporando-se, com o saber contido em seu ser-de-céu, e sob o sol de seu lume criador, iluminou-se a fonte da fala. Com o saber contido em seu ser-de-céu, e sob o sol de seu lume criador, nosso Pai iluminou-se a fonte da fala e fez com que fluísse por seu ser, divinizando-a. Antes de a Terra existir, no caos obscuro do começo, tudo oculto em sombras, Ñamandu, Pai verdadeiro, o primeiro, aflorou-se a fonte da fala e fez com que fluísse por seu ser, divinizando-a.


3


A fonte da futura palavra tendo aflorado, com o saber contido em seu ser-de-céu, e sob o sol de seu lume criador, de si foi aflorando a fonte do amor.






Leitura de Roça Barroca

Vídeo-poema criado por alunos da Oi Kabum! Salvador -BA



Realizadores: Ana Paula Oliveira, Cleber Monteiro da Silva, Deivisson Conceição Alcântara, Jadilson Oliveira Machado, Jean Henrique de Jesus Chagas, João Lucas de Alcântara Pessoa, Leon Sacha Viera Oliver, Luís Cláudio de Jesus Alves, Raiane Vasconcelos da Silva, Tatiane de Lima Santos, Tiago Figueiredo Pimentel, Vaguiner Braz da Silva.

Trilha sonora: Davi Cerqueira Supervisão de vídeo: Silvana Resende Supervisão de animação: Maíra Moura Miranda Supervisão de texto: Lucia Manisco Coordenação geral: Jean Cardoso e André Luiz Ferreira Gerência do projeto: Henrique Rodrigues.








#tradução&poesia - Curadoria de Francesca Cricelli



Francesca Cricelli, é poeta e tradutora literária. Cresceu entre o Brasil, a Itália e a Malásia. Publicou os livros de poemas Repátria no Brasil e na Itália (Selo Demônio Negro, 2015 e Carta Canta, 2017) e 16 poemas + 1 nos EUA (edição de autora, 2017), na Islândia (Sagarana forlag, 2017) e na China (Museu Minsheng, 2018), além da plaquette As curvas negras da terra / Las curvas negras de la tierra (edição bilíngue, Nosotros Editorial, 2019). Suas crônicas de viagem e uma breve prosa de autoficção foram reunidas no livro Errância (Edições Macondo e Sagarana forlag , 2019). Traduziu, entre outras, Elena Ferrante (Biblioteca Azul, 2016) e Igiaba Scego (Nós, 2018). É doutora em Literaturas Estrangeiras e Tradução pela Universidade de São Paulo, com uma tese sobre o acervo de cartas de amor de Giuseppe Ungaretti para Bruna Bianco. Atualmente vive na Islândia onde estuda língua e literatura islandesa.




















bottom of page