top of page

Reynaldo Damazio #poemainedito



DESABITAR


os cômodos da casa se apagam um a um

nunca de imediato

o quarto perde seu contorno

e sobra um borrão

os corredores desfocam

a sala escurece como num lento desmaio

misteriosamente os livros, louças, roupas

escorrem das mãos

até os sapatos evitam os pés

com medo dos passos que estão por vir

as janelas se fecham para a luz da rua

não se ouve mais bom dia esfriou

volto logo vai chover quer um café?

o cão que abanava o rabo por carinho

morde até tirar sangue o polegar perplexo

o exílio toma conta das paredes

e o vulto que se confundia com os móveis

cada vez mais se irmana às sombras

e ao pó



Para os poetas da nossa comunidade capivaresca, perguntamos sempre: se você fosse um bicho, qual gostaria de ser? Reynaldo: "Um cachorro vira-lata".




Reynaldo Damazio nasceu em São Paulo em 1963. É autor de Poesia, linguagem, Nu entre nuvens, Horas perplexas (livro contemplado com o PAC/SP), Com os dentes na esquina, Crítica de trincheira: resenhas, notas, trilhas & outras tramas e Movimentos portáteis. É coordenador do Centro de Apoio a Escritores do museu Casa das Rosas e editor. Pesquisa e ministra oficinas de escrita e caminhada.






bottom of page