top of page
JEROME ROTHENBERG: as vozes do mundo em um só poeta - Aula Aberta com Dirceu Villa
JEROME ROTHENBERG: as vozes do mundo em um só poeta - Aula Aberta com Dirceu Villa

JEROME ROTHENBERG: as vozes do mundo em um só poeta - Aula Aberta com Dirceu Villa

Data: 30 de julho (terça-feira) Horário: das 19h30 às 21h30

Informações

30 de jul. de 2024, 19:30 – 21:30 BRT

Transmissão via zoom

Sobre

[ATIVIDADE GRATUITA]

Jerome Rothenberg (1931-2024), poeta judeu americano, nascido nos EUA, nos deixou em abril deste ano. Uma das bases de nossa oficina de escrita poética "Laboratório de Poemas" — que dedica ao seu livro Technicians of the Sacred (Técnicos do Sagrado, 1968) nada menos do que um módulo inteiro — é a obra múltipla desse personagem que, além de poeta, foi um mestre antologista (atividade que partilhou com outros, em especial, com sua esposa, Diane Rothenberg), performer, professor, teórico e prático da tradução, criador da tradução total e do conceito de etnopoesia, dentre tantos feitos.

Portanto, ninguém melhor do que Jerome Rothenberg para inaugurar o nosso semestre poético e os trabalhos do "Laboratório de Poemas", com esta aula-homenagem, especialmente preparada por Dirceu Villa.  Para saber mais sobre o Laboratório, clique aqui: Laboratório de Poemas

Transitando por áreas pouco conhecidas, como a tradição da poesia em hebraico, as artes verbais de numerosos povos de fora do ramo europeu e greco-latino (em particular, o seu longo contato com as artes verbais de povos indígenas dos EUA) e até mesmo as mais radicais vanguardas, como Dadaísmo, Rothenberg foi uma figura de singular dinamismo na poesia dos últimos 50 anos.

Vamos percorrer algumas de suas contribuições fundamentais a qualquer prática de poesia contemporânea: veremos alguns de seus poemas, seus famosos e instigantes pre-faces, exemplos de tradução total performada, modelos radicalmente novos de compor antologias (com destaque para Technicians of the Sacred - Técnicos do Sagrado e Poems for the Millennium - Poemas para o Milênio). Além disso,  veremos suas conexões com poéticas antecedentes (de Ezra Pound, da vanguarda dadá, da tradição judaica); com contemporâneos (os beatniks e a também recém-falecida Marjorie Perloff) e com artistas de diversas áreas, como música, pintura e performance.

Dirceu Villa (1975, São Paulo) é poeta, tradutor e ensaísta, autor de sete livros de poesia, sendo os últimos couraça (2020) e ciência nova (2022), publicados pela Laranja Original. Possui doutorado em Literaturas de Língua Inglesa e pós-doutorado em Literatura Brasileira, ambos pela USP. Colaborou com periódicos estrangeiros e escreveu apresentações para obras de diversos autores contemporâneos. Participou dos festivais de poesia de Berlim, na Alemanha (2012); Granada, na Nicarágua (2018) e Siena, na Itália (2019). Foi escolhido para a residência literária, promovida pelo British Council, a FLIP e o Writers’ Centre Norwich, em Norwich e Londres (2015). Sua poesia já foi traduzida para o espanhol, o inglês, o francês, o italiano e o alemão, publicada em antologias e revistas especializadas. Desde 2014, é professor da Oficina de Tradução Poética da Casa Guilherme de Almeida (Centro de Estudos de Tradução Literária). Desde 2020, é professor do CLIPE (Curso Livre de Preparação de Escritores) do Museu Casa das Rosas e professor do Laboratório de Poemas d'A Capivara Cultural.

Compartilhar evento

bottom of page