top of page
Lançamento duplo de Hugo Lorenzetti Neto: Máquina extraordinária e 24
Lançamento duplo de Hugo Lorenzetti Neto: Máquina extraordinária e 24

Lançamento duplo de Hugo Lorenzetti Neto: Máquina extraordinária e 24

Data: 29 de Outubro (sexta-feira) Horário: das 19h30 às 21h30

As inscrições estão encerradas
Consulte a nossa agenda

Local e Horário

29 de out. de 2021, 19:30 – 21:30

Transmissão via Zoom

Sobre o Evento

A Editora Zouk em parceria com A Capivara têm a honra de apresentar os novos livros: "Máquina Extraordinária"  e "24", um duplo lançamento do poeta Hugo Lorenzetti Neto.

Em seu debut literário, Hugo nos presenteia com dois livros de poesia de uma só vez, o que já nos revela muito sobre o autor, pessoa incansável e irrequieta – um diplomata da poesia, um poeta da diplomacia – enfim, verdadeira metamorfose ambulante.

Chocolate belga, divas do pop, crianças viadas, o Himalaia, os anos 90 e o amor (ou desamor) na vida de pessoas queer. Essas são apenas algumas das imagens que orbitam o universo poético de Hugo Lorenzetti Neto.

O evento, como já é clássico da casa, vai ser um bate-papo em clima de sexta-feira, com o autor e os convidados especiais, os poetas: Angélica Freitas, Matheus Guménin Barreto & Ismar Tirelli Neto, regado, é claro, com leituras de poemas de ambos os livros.

Sobre os livros:

Máquina extraordinária

Ceci n’est pas um livro de amor. O que Hugo Lorenzetti Neto nos entrega é um exorcismo de quaisquer doçuras e tons pastéis que porventura sintam ainda os apaixonados que seguram este livro. O spoiler do livro seria: ‘foge, leitor, da voz gostosa e da mão veiuda; foge, que é cilada’. Mas como todo bom livro necessariamente se contradiz, o spoiler só se completaria com sua outra face: ‘mas foge devagarinho, indo-sem-querer-ir’. Ou ainda: ‘Deus me livre, mas quem me dera’.

24

No princípio era uma bíblia cor-de-rosa, a origem de tudo reescrita. E aí tem: Björk, libélula, incenso, Tetine feat. Claudia Wonder, bombom belga, caminhada no Himalaia, trepadas com rapazes de todo canto, desfile do Lino Villaventura, Dr. Martens, Torre do Dr. Zero, crianças malignas fazendo bullying, criança viada que se vinga, bicha bonita, bicha maluca, uns vinte e cinco países, Campinas, pagers e longos downloads de música, fantasmas, Zelda Fitzgerald, sexo na rua e falta de sexo, drogas e prostituição, Cher, Cake, New Order, Moloko, Cássia Eller, uma história de amor das mais bonitas que já se viu, escolas abandonadas, Leonilson, bambolês de fogo. Tem poema-desenho, poema-ficha de necrotério, poema-tweet, poema com verso, sem verso, com e sem verso. Tem fantasmas de punks e de neobarrocos. É isso: ler “24” é como entrar na vida de Hugo Lorenzetti Neto, mas trazendo a própria vida junto. É como pensar que entrou na vida do Hugo e sair com sua própria vida. Também é como voltar aos anos 90 e trazer tudo para hoje e pensar na História que se insinua em uma vida. É conhecer mais uma visão do que é ser gay, queer, como tentar manter o glitter brilhando no escuro, como dançar depois que acaba a música. Porque uma hora a música volta, a música volta com todo brilho. Quando ela voltar, Hugo e todo mundo que entrar em “24” vão estar prontos.

LINK DA PRÉ-VENDA

https://www.editorazouk.com.br/poesia-ct-db855

Sobre o autor:

Hugo Lorenzetti Neto (Campinas, 1978) é poeta, tradutor, ensaísta e diplomata. Fez Letras na Unicamp, e agora vai do mestrado ao doutorado também em Letras na UFRGS. Estuda processos de criação, escrita e performance, tradução e transcriação em perspectiva queer. Mora em Recife, mas está de mudança para Luanda, Angola. "24" e "A máquina extraordinária" são seus primeiros livros de poesia.

Uma correalização Editora Zouk e A Capivara

Conheça mais sobre a Editora Zouk:

https://www.editorazouk.com.br/zouk-pg-39a38

Compartilhar evento

bottom of page