top of page
FORMA EM FUGA: A Escrita do Ensaio, com Gustavo Silveira Ribeiro
FORMA EM FUGA: A Escrita do Ensaio, com Gustavo Silveira Ribeiro

FORMA EM FUGA: A Escrita do Ensaio, com Gustavo Silveira Ribeiro

Datas: 01, 08 e 15 de fevereiro; 01 de março (quartas-feiras) Horário: das 19h30 às 21h30

Inscrições encerradas
Consulte a nossa agenda

Local e Horário

01 de fev. de 2023, 19:30 – 01 de mar. de 2023, 21:30

Transmissão via Zoom

Sobre o Evento

A partir da análise detida de textos teóricos sobre o gênero e de uma série de ensaios de referência, o curso pretende oferecer subsídios para uma melhor compreensão das múltiplas possibilidades do ensaio, contribuindo também para a formação de um repertório mínimo e um pouco menos óbvio de leituras. A cada encontro, o foco das discussões irá recair sobre o trabalho de um ensaísta particular, a partir do qual questões mais amplas de método e técnica, e também conexões com outros autores e textos, serão propostas.

Combinados a essa empreitada teórico-crítica, os encontros querem também servir como uma oficina mínima, na qual os estudantes possam, através dos exercícios oferecidos e comentados, desenvolver o seu próprio texto, produzindo, ao final do curso, um ensaio que será discutido, oralmente e por escrito, com cada um dos participantes.

PROGRAMA

Aula 1

José Miguel Wisnik

A tradição – e a traição – da crítica sociológica: a partir da cultura, pensar a singularidade (e as contradições) do Brasil como índices do processo particular de modernização do país, modos e reinvenções possíveis do próprio sentido geral da Modernidade. O ensaio, para Wisnik, como forma exigente e maleável, estrutura propriamente musical: exercício criativo centrado na repetição e na busca, ainda que ancorado na pesquisa metódica e no corpo a corpo rigoroso com o texto. O lugar da canção (da voz, do corpo, da presença) brasileira: forma, história, pensamento.

“A gaia ciência: literatura e música popular no Brasil”

(texto base)

“A elipse: futebol brasileiro” [‘Macunaíma e seu outro’] (In: Veneno-remédio: o futebol e o Brasil)

“A propósito da palavra mundo” (In: Maquinação do mundo: Drummond e a mineração)

(outras leituras)

Aula 2

Tamara Kamenszain

O ensaio de Tamara na passagem entre a autobiografia, a crítica literária e o espaço de deriva e experimentação textual. Ensaio-invenção, espécie de laboratório da escrita e do pensamento: a variedade literária e artística do presente é posta em questão a partir da prática livre da escrita e da argúcia da leitura ampla e atenta de poemas e narrativas. A questão do testemunho e da memória: motores da criação, da análise crítica da cultura à reinvenção de si pela escrita. A intersecção entre o ensaio e poema, o verso e a prosa. Associação e justaposição.

“Testemunhar sem língua (o caso Alejandra Pizarnik)” (In: Fala, poesia)

(texto base)

Livros pequenos (fragmentos)

O livro de Tamar (fragmentos)

(outras leituras)

Aula 3

Jean Améry

Ao avançar por entre a filosofia e narrativa autobiográfica, o ensaio de Jean Améry constrói-se como espaço de reflexão múltiplo, ao mesmo tempo voltado para as questões históricas e políticas de sua época (o mundo de entreguerras e as ruínas que restaram – físicas e espirituais – na paisagem europeia) e os dramas pessoais experimentados por ele, o exílio e a tortura em primeiro lugar. A partir do existencialismo sartreano, Améry interroga a condição de sobrevivente (de Auschwitz), mas também a de intelectual e homem-de-letras num mundo que ética e culturalmente se despedaça. Envelhecimento, suicídio, ressentimento: temas fundamentais arrancados à tradição alemã (Goethe, Nietzsche, Freud, Brecht) com & contra a qual o autor escreve.

“A tortura” (In: Além do crime e do castigo: tentativas de superação)

(texto base)

“Atentar contra si” (In: Atentar contra si: discurso sobre a morte voluntária)

“Denegación temprana” (In: Años de andanzas nada magistrales)

Aula 4

Donatella Di Cesare

A partir de Terror e Modernidade. Pensar o terrorismo como parte constituinte, ainda que maldita, da modernidade ocidental. Recorrendo à história, à literatura e à filosofia política, Donatella Di Cesare compõe o vasto panorama do terror em escala global, do passado ao presente imediato da ‘Guerra ao terror’, panorama que abrange também a questão da soberania e o processo de secularização da vida social, que tem na Revolução um desdobramento decisivo. O livro será comentado, a partir da perspectiva do ensaísmo, levando em consideração questões sobre o estilo, as articulações entre saberes e o cruzamento de épocas e referências que marca o trabalho da autora.

Terror e Modernidade

(texto base)

As aulas serão gravadas, para você ver e rever quantas vezes quiser.

Gustavo Silveira Ribeiro é ensaísta e crítico literário. Professor de Literatura Brasileira da UFMG. Publicou, entre outros, os livros A extração dos dias: poesia brasileira agora (Escamandro/2017); Poesia contemporânea: reconfigurações do sensível (Quixote+Do Editoras Associadas/2018); Antevéspera, noite interior – ensaio sobre Age de Carvalho (Edições Macondo/2018) e Uma alegria estilhaçada: antologia poética (Escamandro/Edições Macondo/2020). Escreve regularmente sobre poesia brasileira contemporânea.

Ingressos

  • Inscrição Integral

    (Pagto. em até 3X no cartão)

    R$ 370,00
    Vendas encerradas
  • Inscrição Social (50%off)

    (Pagto. em até 3X no cartão) - Destinado a estudantes de graduação e pós, bolsistas CAPES/CNPq e pessoas em situação de vulnerabilidade social, por questões de raça, gênero, orientação sexual, outras. (*Vagas Limitadas)

    R$ 185,00
    Esgotado
  • Inscrição + Doação

    (Pagto. em até 3X no cartão) - A quantia doada acima do valor integral do ingresso nos ajuda a manter o nosso programa de bolsas (apoie um aluno)

    R$ 470,00
    Vendas encerradas
  • Inscrição Ex-alunos Capivara

    (Pagto. em até 3X no cartão) - Destinado exclusivamente aos alunos que já fizeram um de nossos cursos pagos

    R$ 333,00
    Vendas encerradas

Total

R$ 0,00

Compartilhar evento

bottom of page