top of page
Cena em prosa: a escrita como processo - Do esquecimento e da espera, com Deise Abreu Pacheco
Cena em prosa: a escrita como processo - Do esquecimento e da espera, com Deise Abreu Pacheco

Cena em prosa: a escrita como processo - Do esquecimento e da espera, com Deise Abreu Pacheco

Datas: 06, 13, 20 e 27 de maio (sábados) Horário: das 10h às 12h

As inscrições estão encerradas
Consulte a nossa agenda

Local e Horário

06 de mai. de 2023, 10:00 – 27 de mai. de 2023, 12:00

Transmissão via Zoom

Sobre o Evento

Cena em prosa” é uma oficina voltada para práticas de escrita criativa, tendo por  princípio a noção de cena enquanto expediente estético e pedagógico constituído por  três dimensões centrais: a espacialidade, a temporalidade e o acontecimento.

Com enfoque na dimensão processual e formativa da escrita, a cada semestre será  oferecido um módulo inédito, com a apresentação de novas perspectivas de práticas de  escrita, associadas a um recorte temático, sempre em diálogo com obras literárias em prosa (romance, conto, crônica, novela, etc.).

As aulas adotam uma abordagem expositiva e dialógica, com o desenvolvimento de  exercícios a partir de referências situacionais específicas (onde, o quê, quem e quando), estabelecendo um solo consistente e prazeroso, que estimula o processo de criação dos participantes.

Tema: Do esquecimento e da espera

Neste primeiro módulo, enfocaremos os temas do esquecimento e da espera, em  diálogo com o livro A alma perdida, das autoras polonesas Olga Tokarczuk (Prêmio  Nobel de Literatura 2018) e Joanna Concejo (Prêmio Bologna Ragazzi 2018). Nessa inspiradora fábula ilustrada – uma história para todas as idades – somos  confrontados com uma problemática aguda da vida contemporânea: a pressa, a  desatenção, a hiperexposição, o enfado, a exaustão.

Partiremos do conceito arcaico de "cena" (Gr. skené: barraca ou tenda), cuja  finalidade era resguardar do olhar dos espectadores determinados procedimentos realizados pelos atores. O espaço chamado de “cena”, no teatro grego  antigo, era efetivamente um lugar para não ser visto. Essa concepção peculiar de cena evoca, portanto, um espaço de reserva. Reserva  entendida, em seu viés objetivo e subjetivo, como lugar preservado e interioridade.

Esse conceito arcaico de cena é, portanto, o mote fundante do nosso curso. Considerando a prática de escrita criativa que nos propomos a desenvolver, essa cena da interioridade e da reserva instiga a relação entre realidade, memória e imaginação, nos convidando a investigar percepções primordiais (prístinas), a partir de nossas próprias experiências.

A criação dessa cena prístina pessoal, todavia, exige certo recuo frente ao  mundo dos afazeres habituais, dos automatismos. O diálogo com a obra de Tokarczuk e do Concejo nos auxilia a exercitar tal recuo, estimulando nosso campo sensível e imaginativo e disparando processos criativos. Essa fábula sobre a perda da alma nos propõe uma reflexão a respeito do esquecimento dessa dimensão delicada e íntima da vida que, embora esquecida, caminha pacientemente em nossa direção. Para que nos alcance, contudo, nos será requisitado aprender a esperá-la.

Aula 1:

✔ Apresentação dos pressupostos da dimensão arcaica de cena (Gr. skené) e de  seus desdobramentos na modalidade de prática de escrita da “cena arcaica” (cena para não ser vista; cena fundante, primitiva, prístina);

✔ Apresentação da obra A alma perdida, de suas autoras e do recorte temático do  módulo;

✔ Apresentação do eixo de trabalho para os exercícios: referências situacionais  específicas (onde, o quê, quem e quando);

✔ Exercício em aula: breve prática de escrita a partir dos temas do esquecimento e  da espera no contexto da obra A Alma perdida;

✔ Proposta de exercício de escrita baseado nas noções de “cena arcaica” para os  participantes desenvolverem para a aula seguinte.

Aula 2:

✔ Partilha dos exercícios de escrita desenvolvidos pelos participantes: os textos  produzidos serão lidos em voz alta e discutidos em grupo, tendo em vista as  proposições lançadas na aula anterior.

Aula 3:

✔ Essa aula será caracterizada por uma dinâmica fundamentalmente interativa e  conversacional, de modo a favorecer breves práticas de escrita em diálogo com o  conteúdo proposto;

✔ A partir das dimensões cênicas da espacialidade, da temporalidade e do  acontecimento, intensificamos o diálogo com o livro A alma perdida, tendo  em vista os seguintes aspectos evocados pela obra: atmosferas, ambiências,  paisagens sonoras, ritmos, ações externas e internas das personagens,  respiração/pulsação e gestualidades;

✔ Remissão da ficção à memória afetiva: as formas sensíveis que essa obra faz  recordar (sensações tácteis; luminosidades; temperaturas; sons, ruídos, cantigas  e músicas; comidas e bebidas; odores e aromas; lembrança de lugares, pessoas,  figuras, animais, plantas e objetos);

✔ A partir dos aspectos levantados, retomaremos a discussão em torno da noção de “cena arcaica” e trabalharemos com a ideia de “título”;

✔ Proposta de exercício de reescrita com título da “cena arcaica”, baseado nos aspectos abordados, para que os participantes desenvolvam para a aula seguinte.

Aula 4:

✔ Partilha dos exercícios de reescrita com título desenvolvidos pelos participantes:  os textos produzidos serão lidos em voz alta e discutidos pelo grupo, tendo em  vista as proposições lançadas na aula anterior.

Público alvo:

Pessoas interessadas em processos criativos, práticas de escrita e leitura de obras literárias em prosa. Pré-requisito: idade mínima 16 anos. Não é obrigatória a leitura prévia do livro A alma  perdida para participar da oficina.

A oficina tem o apoio dos parceiros da:

Livraria da Tarde: www.livrariadatarde.com.br

Editora Todavia: www.todavialivros.com.br

Deise Abreu Pacheco é doutora (FAPESP/Capes) em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da  Universidade de São Paulo (ECA/USP), com estágio de pesquisa doutoral em Filosofia  no Søren Kierkegaard Research Centre (SKC), da Universidade de Copenhague  (Dinamarca, 2015). Possui graduação em Direção Teatral e mestrado em Pedagogia das  Artes Cênicas (ECA/USP), em que investiga processos de criação nas peças didáticas de  Bertolt Brecht.

Integrou o corpo docente do programa de Pós-Graduação em Escrita Criativa da  Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP, 2018-19), ministrando a disciplina  “Elementos de Ficção”. No campo literário, é autora do livro de tirinhas A vida de Deise (Tomo I), pela Hucitec Editora (2022), em parceria com a poeta, tradutora e professora  de literatura de expressão francesa Ana Cláudia Romano Ribeiro, com que também é  casada. É autora do romance LGBTQIA+ intitulado Começando Albertina (nossa vida  no armário nos anos 90), que será lançado pela editora Editacuja em junho de 2023.

Ingressos

  • Inscrição Integral

    (Pagto. em até 3X no cartão)

    R$ 370,00
  • Inscrição Social (50%off)

    Destinado a estudantes de graduação e pós graduação, bolsistas CAPES/CNPq e pessoas em situação de vulnerabilidade social. (**Vagas Limitadas)

    R$ 185,00
  • Inscrição + Doação

    A quantia doada acima do valor integral do ingresso nos ajuda a manter o nosso programa de bolsas. Conheça mais sobre o projeto: www.bit.ly/blscapi

    R$ 470,00
  • Inscrição Ex-alunos Capivara

    Destinado exclusivamente aos alunos que já fizeram algum de nossos cursos pagos.

    R$ 333,00

Total

R$ 0,00

Compartilhar evento

bottom of page