top of page
AULA ABERTA: Revolução da Poesia: Vanguardas do século XX com Dirceu Villa
AULA ABERTA: Revolução da Poesia: Vanguardas do século XX com Dirceu Villa

AULA ABERTA: Revolução da Poesia: Vanguardas do século XX com Dirceu Villa

20 de agosto (sexta-feira), das 19:30 às 21:30. Transmissão via Zoom.

As inscrições para este curso estão encerradas.
Veja nossa agenda de cursos

Local e Horário

20 de ago. de 2021, 19:30 – 21:30

Online pelo Zoom

Sobre o Evento

AULA ABERTA: Revolução da Poesia: Vanguardas do século XX, com Dirceu Villa

DESCRIÇÃO DO EVENTO

Aula gratuita com o poeta, tradutor e ensaísta Dirceu Villa!

REVOLUÇÃO DA POESIA: vanguardas do século XX

No começo do século XX, grupos de artistas e poetas tomaram a dianteira em trazer não só uma nova percepção, mas também a crítica ou a adesão, ambas ferozes, a um mundo cada vez mais maquinal, de velocidade e eficácia desumanas, e de guerra: por isso, vanguarda, termo do jargão da guerra, significando o destacamento que se arrisca na frente: neste caso, as trincheiras da arte.

O resultado é múltiplo: o período do começo do século XX aos anos 1920 é um período de vanguardas, no plural, assim como as visões variadas eram também contrastantes, bastando lembrar que o futurismo adorava a máquina e a velocidade, enquanto o imagismo focalizava uma imagem, sobretudo imóvel, e repropunha tradições poéticas, como as antigas da Grécia e da China.

Nesta aula, vamos  analisar as pontas-de-lança de vários movimentos, como cubismo, surrealismo, vorticismo, dadá, futurismo, cubofuturismo, antropofagia, para entender o único ponto que todas as vanguardas têm em comum. Vamos falar, ainda, sobre o papel técnico do escândalo, das revistas que desafiavam a estrutura gráfica das publicações, e  como a maioria dos movimentos não era apenas um modo de escrever literatura, mas um modo radical de transformar a vida.

DIRCEU VILLA (1975, São Paulo) é poeta, tradutor e ensaísta, autor de 6 livros publicados de poesia, MCMXCVIII (1998), Descort (2003, prêmio Nascente), Icterofagia (2008, ProAC), Transformador (antologia, 2014), speechless tribes: três séries de poemas incompreensíveis (2018) e couraça (2020). É tradutor de Um anarquista e outros contos, de Joseph Conrad (2009), Lustra, de Ezra Pound (2011), Famosa na sua cabeça, de Mairéad Byrne (2015), “O Chamado de Cthulhu”, de H.P. Lovecraft (2020) e “O Anjo Heurtebise”, de Jean Cocteau (inédito).

Ensinou literatura na pós lato-sensu da Universidade de São Paulo (USP), na graduação da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), além de lecionar em cursos livres de escrita, como o Clipe, da Casa das Rosas, 2018-9, e cursos de escrita inventiva no b_arco (em parceria com Ana Rüsche), em 2008, e no Clube dos Hussardos, em 2014. É há sete anos professor da Oficina de Tradução Poética da Casa Guilherme de Almeida (Centro de Estudos de Tradução Literária), e professor do Laboratório do Poema há um ano n'A Capivara.

Compartilhar evento

bottom of page